Paul Klee - um artista em essência

.

.
Texto adaptado do livro KLEE de Susanna Partsch e mais fragmentos de pesquisas em sites sobre o artista.
  
 .
 .
Paul Klee foi um dos maiores artistas do início do século XX autor de uma linguagem plástica inovadora, um artista em essência. Convencido de que a realidade artística era totalmente diferente da observada na natureza, dedicou sua carreira à busca do ponto de encontro entre realidade e espírito.
Suas pinturas, muitas delas de pequenas dimensões, parecem tímidas, mas, diante de um olhar mais atento, revelam-se grandiosas em imagens e sensações.
Com suas descobertas sobre as cores e seus efeitos, Paul Klee enriqueceu a arte moderna não apenas como pintor, mas também como teórico.
.
Um quadro em discusão: Revolução do Viaduto - 1937 - Óleo sobre fundo de óleo sobre algodão sobre moldura de cunha, 60 x 50 cm Hamburgo, Hamburger Kunsthalle.
Os críticos são unânimes em afirmar que se trata de uma obra de cunho político e histórico.
.
Pavilhão embandeirado, 1927 - Óleo, parcialmente pulverizado, com desenho gravado sobre cartão, pintado em parte de trás e pintado por cima de branco; moldura original, 40x60cm - Hanôver, Sprengem Museum, doação do DR. Bernhard Sprengel

Klee não fundou um movimento artístico próprio, a exemplo do que fez Kandinsky. Mas, mesmo assim, pode-se afirmar com certeza que todos os pintores posteriores a Klee, mais cedo ou mais tarde, estudaram a sua obra.Sofreu com a perseguição nazista e com a descoberta de uma doença degenerativa que no início foi erradamente diagnosticada como «sarampo». Ele sofria de fato, de Esclerodermia Progressiva, uma doença rara cuja origem era desconhecida e que, após um endurecimento da epiderme e uma secagem progressiva das mucosas, na maior parte dos casos, provoca a morte, mas ele trabalhou metódica e arduamente até o fim de sua vida aos 60 anos de idade.
.
Paul Klee nasceu no dia 18 de Dezembro, em Münchenbuchsee, perto de Berna, mas tem a nacionalidade alemã, porque o pai, Hans Lee, era alemão. A mãe , Ida Klee, cujo nome de solteira era Frick, era suíça.
Klee se casou, em 1906, com a pianista bávara Lily Stumpf, com quem ele teve um filho chamado Felix Paul no ano seguinte. O casal viveu em um suburbio de Munique, e, enquanto ela dava aulas de piano e fazia ocasionais apresentações, ele sustentava a casa e tendia a seu trabalho artístico.
 .
A nacionalidade, segundo a lei suíça da época, era determinada pela ascendência paterna e, portanto, o pintor era cidadão alemão, tendo até mesmo servido o exército da Alemanha durante a Primeira Guerra Mundial.


Simbolo da Bauhaus sob várias versões

Após a Primeira Guerra, lecionou na conceituada escola Bauhaus, aplicando aulas sobre «Pedagogia das Formas».
Quando assumiu suas atividades como professor na Bauhaus em Weimar, em Janeiro de 1921, Paul Klee já era um renomado pintor de vanguarda. Iniciou lecionando na oficina de tipografia. Depois, assumiu a chefia da oficina de vidro.
A sua atividade como professor obrigou-o a desenvolver e formular claramente as suas idéias sobre aspectos teóricos da pintura e da arte.
Klee era um professor muito dedicado. Preparava suas aulas meticulosamente, até nos mínimos detalhes, como nenhum outro artista na Bauhaus fazia. A reação dos estudantes em relação ao professor Klee era muito variada.
As suas aulas constituíam um desafio intelectual de alto nível. Alguns dos seus alunos não se adaptavam ao seu modo. Muitos outros, entretanto, tiveram experiências valiosíssimas com Klee e aprenderam muito com ele.
Em 1931, tornou-se professor na Academia de Düsseldorf, onde foi afastado pelos nazistas.
.
O Peixe Dourado - 1925 - Óleo e aqualera sobre cartão, 49,6 x 69,2 cm - Hamburgo(clique no peixe)
Paul Klee era um desenhador supremo, um dos maiores coloristas da história da pintura e talvez o mais individualista de todos os artistas modernos. Criou o seu próprio mundo, com uma estranha fauna e flora próprias. Depois de fazer uma primeira opção entre a pintura e a música, tornou-se um dos artistas modernos mais poéticos e inventivos. O Peixe Dourado ilustra bem o brilhantismo do uso da cor.
«Ele reinterpretou a teoria de luz e cores de Robert Delaunay, transformando-a em uma pintura poética própria. Paralelamente a isso, ele realizou experimentos com o objetivo de ampliar a escala de combinação de cores, por exemplo de cores complementares contrastivas e de cores quentes e frias», explica-nos Baumgartner.
No trato com as cores, o artista Klee deixava-se guiar pela intuição e pelos sentimentos. Por outro lado, estruturava o seu dia metódicamente, o que, ao mesmo tempo, favorecia os seus minuciosos estudos teóricos.
A Bauhaus foi fundada em 1910 Weimar e mudou-se para Dessau em 1925 ocupando um prédio que é um marco da arquitetura moderna projetado por Walter Gropios.
A Sttaatliches Bauhaus (literalmente casa estatal de construção, mais conhecida simplesmente por Bauhaus) foi uma escola de design, artes plásticas e arquitetura de vanguarda que funcionou entre 1919 e 1933 na Alemanha. Foi uma das maiores e mais importantes expressões do que é chamado Modernismo no design e na arquitetura, sendo uma das primeiras escolas de design do mundo.

Perseguição nazista

Para continuar na Academia, Klee foi obrigado a comprovar a sua filiação. De acordo com o decreto para a aplicação da lei, «só podia ser funcionário aquele que fosse alemão ou aparentado pelo sangue...»
Assim, requereu os registros de nascimento dos avós que não foram de grande utilidade, porque esta lei previa ainda que podiam ser despedidos todos os funcionários «que, devido às suas atividades políticas, não ofereciam a garantia de estarem prontos a servir o Estado sem reservas e em quaisquer circunstâncias».
"Pedreira" (1915). Aquarela e lápis sobre cartão (20,2 x 24,6 cm). Zentrium Paul Klee, Berna

Numa carta a sua mulher Lily, Klee escreveu: «confesso que toda esta incerteza quanto ao trabalho e quanto ao salário pode ser exitante, mas isso não serve de nada; pelo contrário, torna as pessoas doentes...» Manifestou-se abertamente acerca do chamado de filiação ariana: «Se me for exigido oficialmente, terei que apresentá-lo. Mas tomar por mim próprio uma iniciativa desse calibre, parece-me uma coisa indigna, pois, no caso de ser verdade que sou judeu e originário da Galícia, o valor da minha pessoa e das minhas obras não alterará um milímetro. Não tenho o direito de renegar esse meu ponto de vista pessoal, segundo o qual um judeu ou qualquer estrangeiro não é, em nada, inferior a um alemão em geral e a um habitante do país, porque senão ficaria de mim uma lembrança estranha. Prefiro suportar certas contrariedades a ter que fazer um papel trágico-cômico, esforçando -me para obter as benesses do poder».

Sua demissão deu-se em 1º de maio de 1933 e sua certidão de ascendência só chegou à sua morada em Berna no dia 14 de junho de 1935. Apesar da demissão mudou-se juntamente com sua mulher, para a casa que tinham alugado em Dusseldórfia. Como muitos outros, tinha adotado uma atitude crítica a respeito do Estado nazi, ou até o tinham combatido, Klee deve ter nutrido as mesmas ilusões fatais.Os nazistas o classificaram de «artista degenerado» e retiraram todas as suas obras dos acervos públicos da Alemanha.
No Natal de 1934 ofereceu a Lily o quadro Angustiado, é o testemunho do seu sofrimento pessoal. Sobre uma rede de linhas finas que faz lembrar um mosaico, passa uma única linha que desenha o busto de um homem. A cabeça está inclinada para frente os olhos estão fechados e as comissuras dos lábios descaídas.
.
Angustiado
Aquarela e guache sobre papel cartão, 48,7 x 32, 1 cm

No ano seguinte pintou um quadro revelador do seu estado de alma: O homem marcado não representa nenhuma cabeça de criança, mas o rosto e os olhos apresentam semelhança nas formas. As linhas que atravessam o rosto em alguns pontos, formam um X que «risca da lista».
Eliminado da lista
Óleo s/ papel - 31,5 x 24cm - Zentrium Paul Klee, Berna

Entretanto, no Outono, os Klee decidiram deixar Dussedórfia, pois não podiam continuar a pagar o aluguel da casa por muito tempo. No dia 23 de dezembro, Klee regressou definitivamente a Berna. Na véspera da partida, escreveu ainda a seu filho: «sou obrigado a partir. Provavelmente, amanhã à tarde, vou deixar este lugar... Nas últimas semanas, envelheci muito, mas não quero que a amargura se apodere de mim, ou então que seja uma amargura eivada de humor».
Durante o último ano que passou na Alemanha, pintou e desenhou muito. Em 1933, o catálogo de suas obras registra 482 números. Um último quadro deste ano exprime o seu estado de consternação. Eliminado da Lista diz-nos o seu significado. Klee não tinha perdido apenas o seu posto de professor na Academia, mas tinha pedido igualmente o seu valor como artista na Alemanha.
1936 - A grave doença e a depressão o aniquila mais ainda, e neste ano só executa 25 obras.

1937 - Kandinsky e Picasso visitam Klee em Berna.

Paul Klee em 1939
Na exposição « Entartete Kunst » (Arte degenerada) em Munique, são apresentadas 17 obras de Klee; 102 trabalhos são confiscados a coleções públicas alemãs. Klee retorna ao trabalho.

1940 - Pouco antes de adquirir a nacionalidade suíça Klee morre , a 29 de junho, em Locarmo-Muralto. Em Berna e Nova Yorque, realizam-se grandes exposições em sua memória. Em 1946, as suas cinzas são inimadas no cemitério de Schosshalden, em Berna.

Em 1946, seu filho Felix Klee mandou gravar na pedra tumular estas palavras de seu pai que passaram a ser o seu programa.
.

Um Centro para Paul Klee

Artista, musicólogo, pedagogo e poeta


Sessenta e cinco anos após a morte do artista, a cidade e o cantão de Berna construíram um grandioso memorial em sua homenagem: o Centro Paul Klee.

«Mais importante do que a natureza e o seu estudo, é a harmonia do artista com o conteúdo da sua caixa de cores. Um dia hei-de poder improvisar livremente com o conjunto harmônico de cores que os godês das aquarelas formam».
.
Projetado pelo arquiteto italiano Renzo Piano, que também projetou o Centro George Pompidou, em Paris, o museu tornou-se um riquíssimo centro de pesquisas sobre um dos fundadores da arte abstrata - o pintor e artista gráfico Paul Klee.
.
Clique no »»» Zentrum Paul Klee |Bern » » » para conhecer mais sobre o centro

O Centro Paul Klee não é simplesmente um museu, mas, sim, um "centro responsável pela pesquisa e divulgação da vida e da obra de Paul Klee".

Reúne sob o mesmo teto o acervo pertencente à Fundação Paul Klee, que esteve até então exposto no Museu de Arte de Berna, a coleção particular da família, pertencente ao filho de Paul, Felix Klee, e obras de coleções particulares.

Você poderá ver algumas das obras expostas no Zentrun Paul Klee aqui
Em junho de 2005, com a inauguração do Centro Paul Klee, a cidade de Berna, na Suíça, passou a abrigar a maior coleção individual do mundo, com 4.000 obras do artista o equivalente a 40% de tudo que ele produziu, é um dos artistas mais influentes, ocupando posição central na passagem do impressionismo para a arte abstrata.
São pinturas, aquarelas e desenhos. Segundo o centro, trata-se da maior coleção de um só artista no mundo.
Para ver mais obras do artista clique nesta imagem
Uma rosa para Klee, minha homenagem e admiração.


Paul Klee - "O encontro de dois homens, cada um deles julgando o outro em posição superior"- 1903



Para transcrever os dizeres de Paul Klee, usei como fundo o Marmo-Onix Paul Klee Light nome dado a essa pedra numa homenagem a Paul Klee, que inspirou suas primeiras obras nos veios dos mármores italianos. O mármore é de uma pedreira localizada no município de Castelo, no Sul do Estado do Espírito Santo- Brasil

.

19 comentários:

  1. Texto perfeito!! Ele fazia uma espécie de textura em primeiro plano. E esses viadutos? Vi um certo humor nos pezinhos andantes! (rs*)
    Elma, trocou o número 9 por 0 (zero) na data de demissão! hehehehe alongou demais o tempo...
    Bom fim de semana! Beijus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Luma, obrigada pela observação. Agora corrigido, beijo :-d

      Excluir
    2. amo paul klee sou fa numero 1 e gosto e amo as obras dele aaa amooooooooooooooooooooooooo

      Excluir
  2. Que post tão completo sobre Paul Klee, de quem admiro muito a obra, mas desconhecia os detalhes de sua trajetoria. Ele viveu uma fase muito conturbada da história e se manteve fiel a suas convicções, pagando o preço por isto.
    Parabéns pelo post!
    Um beijão.

    ResponderExcluir
  3. ARTE PARA NOS E MUITO BOM POIS AJUDA-NOS A IMAGINAR COM FACILIDADE PARABÉNS PELO BLOG.

    ResponderExcluir
  4. parabens pela arte incrivel

    ResponderExcluir
  5. parabens um artista incrivel

    ResponderExcluir
  6. sua história é muito interessante,suas obras lindissimas e muito valiozas.

    ResponderExcluir
  7. Texto muito bom.
    O Centro Paul Klee é um espaço que conheci recentemente e fiquei encantada. Lindo, maravilhoso, com projetos e atividades voltadas as artes de forma fantástica. Adorei tudo

    ResponderExcluir
  8. nossa que obras lindas

    ResponderExcluir
  9. isso ajuda muito para se desenvolver mas a nossa mente a gente aprende com facilidade ler,escreve e imagina mas eu fico admiravel com o talento de paul klee beijo pessoas a gente tem que bater (h) para ele

    ResponderExcluir
  10. gostei muito bomhttps://lh6.googleusercontent.com/-Q5lMkgcmVR4/T2WEWkNi3MI/AAAAAAAACZ4/7VBYeVbx7kA/s36/01.gif

    ResponderExcluir
  11. (h) parabens mais eu ainda fiquei com :-?

    ResponderExcluir
  12. amei ajudou muito no meu trabalho de artes conserteza vou tirar dez !

    ResponderExcluir
  13. muito legaal ajudou no meu trabalho de artes vou tirar dez

    ResponderExcluir
  14. Quais as referências usadas para a produção do texto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alexandre Scribles

      Talvez lhe tenha passado desapercebido, mas, no início da postagem está a referência com o link da capa do livro de onde foi extraído pelo menos 99% do conteúdo do texto inclusive algumas imagens que foram digitalizadas.
      Se você achou interessante, poderá comprar esse excelente livro.

      Excluir
  15. Obrigado por oferecer seus conhecimentos sobre Klee...eles passaram(nazistas), ele virou passarinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita Roberto rodrigues.
      Gosto muito da arte de Paul Klee e sua vida foi uma luta árdua, desenvolveu suas próprias formas e cores.
      Ele deve ter virado em algum dos passarinhos que ele mesmo criou, pois é sabido que em seu mundo criativo ele possuía uma fauna e flora próprias.

      Abçs

      Excluir

Obrigada por chegar até aqui. Seu comentário será valioso para que eu receba através dele, a sua opinião, prova da nossa interação.

Esse blog foi feito para você.

" ARTE é o conhecimento usado para realizar determinadas habilidades ou beleza transcendente de um produto de atividade humana".


Elma

Copyright © 2013 Espaço das Artes and Blogger Templates - Anime OST.