Theo van Doesburg na Tate Modern - Reino Unido

Após 79 anos da morte de Theo van Doesburg, a Tate Modern de Londres o homenageia numa apresentação de suas obras com início em 4 de Fevereiro até o dia 16 de Maio de 2010.
Esta é uma possibilidade única e emocionante para ver o trabalho de Theo Van Doesburg .
Nos anos 1920, o artista viajou extensivamente na Europa fazendo conexões e colaborando com artistas vanguardistas.
Tate Modern de Londres

A exposição explora o papel de Doesburg como o promotor de Neoplasticismo holandês, a sua personalidade Dada, os seus esforços para influir no Bauhaus, as suas conexões com Construtivistas internacionais, e a sua criação do grupo Art Concret. Inclusive mais de 350 trabalhos (muitos não vistos no Reino Unido antes) por artistas-chave como Jean Arp, Constantin Brancusi, László Moholy-Nagy, Piet Mondrian, Francis Picabia, Gerrit Rietveld, Kurt Schwitters e Sophie Taeuber, com pinturas de Contra-composição raramente vistas de Doesburg e desenhos do Café Aubette no Estrasburgo, a mobília como cadeira Azul vermelha icônica de Rietveld, bem como tipografia, revistas, filmes, a música, escultura e mais.
O seu preço de entrada inclui um catálogo de exposição fixado o preço em 1.50 libras esterlinas. Os catálogos são gratuitos a Membros de Tate e Patronos.Artista plástico, designer gráfico, poeta e arquiteto holandês. Um dos fundadores e líderes do movimento De Stijl.

Theo van Doesburg (Utrecht, 1883 — Davos, 1931) fundou o movimento De Stijl juntamente com Piet Mondrian em 1917.

Acreditavam que a arte devia reconciliar as grandes polaridades da vida - “Natureza e intelecto”. Para a gênese das idéias professas na Bauhaus vieram fortes contribuições destes artistas e intelectuais da Holanda.
Restaurante «Aubette»

Em 1908 realizou a sua primeira exposição de pintura em Den Haag, enquadrando a sua arte no Naturalismo até 1916, quando inicia a sua etapa de abstração.

Publica os primeiros números da revista De Stijl, porta-voz do movimento neoplasticista. No período em que foi docente na Bauhaus de Weimar (1921-23), esteve influenciado pela estética do seu amigo e compatriota Piet Mondrian.

Em 1926, rompe com este, escreve um manifesto no qual explicava a arte elementarista. Na sua obra arquitetônica destacam-se o restaurante «Aubette», que construira em Strassburg em colaboração com Cornelius van Eesteren (1926-28), e a sua casa-estudio de Val-Fleury, em Meudon (Hauts-de-Seine).Em 1921, van Doesburg publicou a revista Mecano, um bom exemplo para a nova tipografia.

O mais puro dos movimentos abstratos e o mais mais idealista em sua ideologia foi o grupo holandês De Stijl (O Estilo), formado em Amsterdam em 1917. Este movimento artístico de pintores, arquitetos e designers procurou construir uma nova sociedade após a 1ª Guerra Mundial, defendendo um estilo internacional de arte e design baseado numa geometria rigorosa de planos horizontais e verticais. Para os artistas holandeses, principalmente Piet Mondrian (l972-1944), Theo van Doesburg (1883-1931) e o arquiteto J.J.P. Oud (1890-1963), De Stijl foi um modelo para a perfeita harmonia que acreditavam possível tanto para o homem como para o indivíduo como para a sociedade como um todo. Teve, assim, uma missão ética e até mesmo espiritual, desempenhando uma função análoga à da pesquisa pura em relação às aplicações práticas dos princípios descobertos. Muito mais que os movimentos russos e alemão, inspirou uma corrente abstrata, não só na arquitetura e no projetismo como também na pintura e escultura, que continua vigorosa até hoje, desempenhando importante papel na arte contemporânea.
As concepções artísticas do De Stijl assentava numa ideologia sólida: a filosofia holandesa do idealismo, a tradição intelectual de sobriedade, clareza e lógica e, como disse Oud, o "icnoclasma protestente"

Os artistas acreditavam na existência de uma harmonia universal da qual o homem poderia partilhar desde que se subordinasse a ela. Tal harmonia situava-se no reino do espírito puro, livre de qualquer conflito, de todos os objetos do mundo físico e até mesmo de toda individualidade. No tocante a pintura, os meios plásticos eram reduzidos com elementos constitutivos da linha, do espaço e da cor, dispostos nas mais elementares composições.

Veja também nesse blog Neoplasticismo -Piet Mondrian e Theo van Doesburg, ou clique na imagem.


5 comentários:

  1. Oi, Elma... Esse Movimento Artístico, para mim, é o mais extraordinário da História das Artes... Vem depois o Nosso NeoConretismo Brasileiro, minha paixão... Amílcar de Castro... e seus herdeiros, como Arnaldo Antunes... Ótimo tema para um post...

    ResponderExcluir
  2. Olá,

    Tenho uma surpresa para você no meu novo blog:
    http//lumynart.blogspot.com/.

    Passe por lá para o ir buscar.

    Abraços,
    LUmeNA

    ResponderExcluir
  3. Legal, O Van Doesburg foi um sujeito importante para o desenvolvimento de uma arte nova.
    Pensa além do seu tempo.
    Bem lembrado.
    abs.

    ResponderExcluir
  4. Querida mana,
    VC nunca me falou desse seu maravilhoso blog. Adorei!!!! Estou mais encantada c/ vc ainda. Vc é a nossa irmã intelectual, entre as cinco irmãs que somos. PARABÉNS!!! bjãoooooooooooooo

    ResponderExcluir

Obrigada por chegar até aqui. Seu comentário será valioso para que eu receba através dele, a sua opinião, prova da nossa interação.

Esse blog foi feito para você.

" ARTE é o conhecimento usado para realizar determinadas habilidades ou beleza transcendente de um produto de atividade humana".


Elma

Copyright © 2013 Espaço das Artes and Blogger Templates - Anime OST.